Palanque e Patíbulo: O Patrimônio Cultural na Assembléia Nacional Constituinte (1987-1988)

Editora: ANNABLUME (veja mais livros desta editora)
Autor(es): Yussef Daibert Salomão De Campos (veja mais livros deste autor)

por: R$ 62,50 Em 2x de: R$ 31,25 No boleto: R$ 62,50 para Associados CAASC
por: R$ 46,88

Comprar
Disponível: Produto com previsão de postagem em 9 dias úteis + tempo de transporte (conforme frete escolhido), após a confirmação do pagamento.
Consulte aqui o valor do frete e prazo de entrega do produto
Opção de parcelamento via cartão de crédito
  • 1x de R$ 62,50 sem juros
  • 2x de R$ 31,25 sem juros
Avalie:

Ficha técnica

Código de barras:
9788539109180
Dimensões:
1.31cm x 16.00cm x 23.00cm
Edição:
1
Editora:
ANNABLUME
ISBN:
8539109182
ISBN13:
9788539109180
Número de páginas:
260
Peso:
320 gramas
Encadernação:
Brochura

Sinopse

Apesquisa de Yussef Campos enfoca os vínculos entrepatrimônio, memória, identidade e localidade. Estaquestão tem sido objeto de muito trabalho há pelo menostrês décadas, mas a abordagem desse pesquisador éoriginal e particularmente relevante. De fato, no âmbito de análisesmuito precisas das políticas de patrimônio implementadas noBrasil, ela não documenta apenas as interações entre estratégiaspatrimoniais e estratégias de identidade. Também mostra comoessas estratégias podem às vezes ser prejudiciais aos indivíduos- o que ele chama de “lado perverso” do patrimônio cultural -promovendo o fechamento das sociedades em si mesmas. Em umcontexto de globalização em que a tensão entre políticas inclusivas(abertas) e exclusivas (fechadas) é aguda, a pesquisa de YussefCampos representa, portanto, uma contribuição teórica e empíricaextremamente valiosa.Joël CandauYussef Campos é pesquisador da história e patrimônio, envolvidoem diversos estudos estimulantes e originais sobre memória eidentidade e, sobretudo, sobre os “usos e abusos” do patrimônio.Organizou e editou alguns seminários e conferências provocativoscom estudiosos internacionais sobre as questões paradoxais dainvenção desta “vaca sagrada” na esfera pública. Através de algunsestudos precisos, ele tenta descrever as performances e dilemasdos conservacionistas entre normas e lutas.Dominique Poulot